EDUCAÇÃO

 

 

 

Dicas de como escolher a escola para seu filhote

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, o professor João Malheiro elenca nove conselhos úteis para orientar os pais na hora de escolher uma boa escola para os filhos:

1- Alinhe as expectativas com a realidade

Não é conveniente colocar uma criança num colégio que estimula a competição se ela é muito ansiosa, preocupada com a sua imagem ou se tem dificuldade em assimilar habitualmente os conteúdos. Essa criança poderá sofrer um estresse precoce e ter sua autoestima afetada. É melhor buscar uma escola que, devendo ser exigente, não prime tanto pela competição escolar.

2 – Busque a sintonia de valores

Procure um estabelecimento de ensino que sintonize com os valores da família. A pior coisa do mundo é a criança ser educada num clima de incoerência: ela ficará insegura no início e depois “instintiva” na adolescência. É fundamental, para um perfeito desenvolvimento da personalidade da criança, que os pais tenham uma base ideológica humana e espiritual que vá se integrando perfeitamente com a escola. Ambas têm que fazer um trabalho conjunto. É importante ter isso em conta na hora de decidir se optarão por uma escola religiosa ou leiga; de só de meninos ou mista, com atividades extracurriculares ou não e ainda se preferem uma escola bilíngüe.

3 – Fique atento à qualidade

Cada vez mais, devido aos seus altos custos, o investimento educacional exige um retorno convincente. É mais do que sabido que o sucesso profissional está cada vez mais atrelado às reais competências e habilidades que a criança adquire nos primeiros anos de escolaridade. O mercado competitivo e com cada vez menos empregos, está exigindo pessoas diferentes e com um preparo diferenciado. Por isso, deixar a criança numa escola fraca, onde não se exige (nem da criança nem dos pais) um acompanhamento diário dos seus estudos, onde tudo é alegria, esportes, festinhas, teatros, apresentações musicais, enfim, onde tudo é muito lúdico, é enganar-se e enganar o próprio filho, que mais tarde pagará a conta dessa ilusão.

4 – Analise o Projeto Político Pedagógico

Um aspecto que os pais devem examinar criteriosamente é o Projeto Político Pedagógico. Quais são os conteúdos ensinados? Qual é a metodologia empregada? Como é administrada a disciplina dentro e fora de sala? Quais são os métodos de avaliação? É preciso responder a estas questões, procurando saber se de fato o projeto é político, isto é, se existe uma participação da comunidade escolar, da família, procurando chegar a alguns consensos em questões opináveis.
5 – Obtenha informações sobre o corpo docente

Verifique como é composto o corpo docente da escola em análise. Infelizmente, por questão de custos as escolas são, muitas vezes, obrigadas ou a manter professores em patamares pouco motivantes ou então a contratar profissionais que não apresentam o melhor histórico escolar. É uma pena que a grande maioria dos pais, nos dias atuais, descarreguem a educação de seus filhos totalmente na escola e não se preocupem em saber quem está “alimentando” ou “envenenando” seus “pimpolhos”.

6 – Identifique a “alma” do colégio

Depois, é importantíssimo que se “capte” o clima organizacional da escola. Verificar se as crianças estão felizes, estão soltas, se sentem na sua segunda casa ou se, pelo contrário, existe um clima tenso, desanimado, briguento, desleixado etc. É muito elucidativo observar os murais de avisos e dos trabalhos, conhecer a biblioteca – tanta na sua quantidade como na sua qualidade – os folhetos e impressos da secretaria etc. A forma como tudo isso é apresentado reflete a “alma” do colégio.

7 – Preste atenção às instalações

É preciso se preocupar também com a qualidade e tipo de instalações – número de alunos em sala de aula, se tem área esportiva adequada, computadores modernos etc. Outros detalhes importantes, apesar de não serem essenciais: a localização da escola, uma vez que o trânsito hoje é um problema sério nas grandes cidades; e o horário de funcionamento.


8 – Reflita sobre o tamanho da escola

Uma escola grande tem a vantagem de contar com mais recursos financeiros, quando é bem administrada. Se o sucesso de todos os aspectos anteriores sobressaídos dependem bastante de recursos econômicos, é claro que uma escola grande traz mais vantagens. Por outro lado, uma escola pequena consegue buscar com mais facilidade essa individualização, tanto no aprendizado como na própria avaliação. Nas pequenas, a família também pode ter maior participação na gestão.


9 – Leve o método pedagógico em conta

Existem os chamados métodos pedagógicos tradicionais – também chamados de “cuspe e giz” – em que o professor expõe um conteúdo, aplica exercícios, manda lição para casa de fixação e depois a cobra na aula seguinte e nas provas. E existem os chamados métodos modernos, que não pressupõem uma autoridade clara e definida do professor e nos quais os conteúdos não são claramente definidos. Nestes, procura-se que o aprendizado seja através de projetos de trabalho, por meio dos quais a criança, na busca de resolução de problemas, aprenda de forma lúdica. É necessário chegar a um equilíbrio dialético entre estes dois métodos. Afinal, a aplicação exclusiva dos métodos tradicionais já está ultrapassada. Por outro lado, é inconveniente acabar com a clara divisão dos conteúdos por matérias ou disciplinas. O método ideal mescla o melhor de cada um desses mundos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: